• Hoje é: sexta-feira, novembro 17, 2017

Confira a Coluna do Olávo, deste sábado, dia 26

Guilherme Siebeneichler
agosto26/ 2017

Sem mi mi mi
O pré-candidato a presidência da República, pelo PDT, Ciro Gomes, esteve no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira, 24. Durante palestra na Unisinos, em São Leopoldo, afirmou que o país precisa de um discurso real, sem enrolação e direto. Segundo ele, a sua proposta de governo para o país será realista, sem discursos fáceis. “Vou acabar com os bandidos liberando o porte de armas, corrupção no meu governo vai acabar.” Para ele, essas frases são poesia para os ouvidos, porém, na prática, no mundo real, só isso não basta. O problema é que no nosso país, quem fala direto, sem enrolar ou tapinha nas costas é visto como grosso, como “chefe” e não líder. Mas na situação atual, com o país bagunçado, o único caminho é trabalhar na realidade, sem populismo ou whisky nos fins de tarde. Deu né, essa realidade não colabora com a nação, é preciso ser direto e de fato fazer os projetos saírem do papel. Acorda, nada nessa República é fácil, porque para os gestores públicos seria moleza?

Sinaleira na RSC-453
Após quatro anos, uma das novelas do Município, junto ao Governo do Estado garantiu um desfecho. A sinaleira no trevo de acesso ao bairro Coronel Brito na RSC-453. A EGR autorizou a Administração Municipal de instalar no local um semáforo, equipamento que poderia estar instalado desde 2013, no primeiro ano de operações da empresa. O pedido já havia sido confirmado pelo então diretor-presidente Luiz Carlos Bertotto, entretanto, o Município havia ficado com a responsabilidade de realizar a manutenção do equipamento. A iniciativa não andou. Agora, o fim da novela está próximo, pelo menos é o que esperamos.

Ganho real
Um novo enfrentamento entre o Executivo Municipal e o funcionalismo se desenha. Isso porque, lá em março, após aprovar 5,1% de reajuste salarial, apesar de tentar emplacar 6,7%, mas sem condições orçamentárias, o governo mudou o projeto. Entregou a reposição inflacionária. Porém, durante paralisação de um dia do funcionalismo, prefeito e vice afirmaram que uma nova proposta poderia ser avaliada ainda em setembro. Com o mês de agosto terminando, os servidores começam a se movimentar para buscar o ganho real. Mas ele não deve vir, uma vez que as contas públicas estão estouradas e a arrecadação não acompanhou o aumento das despesas. Uma das alternativas é a venda da gestão da folha de pagamento, atualmente controlada pela Caixa. Mas o valor que pode alcançar os R$ 2 milhões, já tem outros destinos, em especial, diminuir o déficit que deve fechar o ano superior aos R$ 10 milhões.

SAFRÃO
A estimativa de produção de tabaco nesta safra é de 727 mil toneladas, ante 525 mil toneladas da temporada 2015/2016, que sofreu perdas provocadas por problemas climáticos. Os dados finais deverão ser apresentados até o início de setembro. Cerca de 88% da safra será exportada. A cadeia do tabaco envolve 153 mil famílias produtoras, perfazendo aproximadamente 600 mil pessoas. A indústria de cigarros emprega mais 35 mil trabalhadores. O levantamento feito pelo Olá Jornal mostrou na última semana mais uma vez a força desse setor, apenas cinco empresas do ramo seguraram o saldo positivo da geração de empregos no Rio Grande do Sul. Duas delas estão em Venâncio (CTA e Alliance One).

Tags:,