Concurso público da Prefeitura motiva questionamentos e denúncias

Guilherme Siebeneichler
agosto26/ 2017

O último concurso público realizado pela Prefeitura de Venâncio Aires está sendo marcado por problemas. Na última semana a empresa responsável, Sawabona , de São Carlos, São Paulo, publicou nota esclarecendo mudanças no resultado, por conta de problemas no momento da correção. Candidatos que realizaram a prova para o cargo de Assitente Jurídico, questionam mudanças e o processo como um todo. Alguns realizaram denúncia e não descartam pedir a anulação da prova que teve cinco questões anuladas.

Segundo o comunicado publicado nesta quinta-feira, 24, a empresa esclarece que a republicação de resultados foi realizada por conta de erro no sistema eletrônico de leitura dos cartões resposta. Ainda segundo a nota, o erro foi decorrente da devolução do valor da inscrição quando da suspensão do concurso no primeiro momento e posterior inscrição do candidato, quando ocorreu a reabertura dos cadastros. Esse problema acarretou na duplicidade do nome de candidatos, o que também gerou falha nas ausências de alguns inscritos.

A Prefeitura de Venâncio Aires também encaminhou comunicado oficial, reiterando que o andamento e processos do Concurso Público (001/2016) estão sendo cumpridos, conforme o edital. Além disso, destaca que diante dos possíveis incidentes ocorridos com alguns candidatos durante a realização da prova objetiva, cumpre com as apurações pertinentes. O Município também notificou a empresa Sawabona por duas vezes para garantir esclarecimentos. Ainda na nota oficial da Administração Municipal, o Executivo salientou que reforça a importância da lisura em todas as etapas do Concurso e salienta que situações onde há dúvidas deverão ser apuradas, bem como, eventuais inconsistências existentes.

POLÊMICA
Com a troca de governo, o Concurso Público também foi alvo de modificações. Ainda no mês de novembro, após as eleições, o prefeito eleito, Giovane Wickert (PSB), solicitou ao governo anterior que cancelassem o certame. No protocolo encaminhado no dia 07 de novembro, o gestor solicitou ao então prefeito Airton Artus (PDT) o cancelamento por projeções de déficit financeiros nas contas públicas e pelo comprometimento do orçamento com a folha de pagamento do funcionalismo. Sem ter a solicitação atendida, ainda em janeiro, o prefeito eleito suspendeu o certame por 60 dias. Após foi reaberto o período de inscrições e as provas foram aplicadas em julho. A empresa foi contratada em 21 de setembro de 2016 pelo valor de R$ 26.874,06, segundo informações do Portal da Transparência.