• Hoje é: sexta-feira, setembro 20, 2019

Com saldo de 2018, Venâncio terá a maior exportação em cinco anos

Olá Jornal
julho17/ 2019

O atraso no embarque da produção de tabaco de 2018 fará com que Venâncio Aires tenha em 2019 a maior exportação dos últimos cinco anos. Parte da produção que deveria ter sido exportada no fim do ano passado ficou para o primeiro semestre deste ano e vai refletir no aumento do desempenho anual em cerca de 20%, podendo ultrapassar os US$ 700 milhões. O maior valor até então foi em 2017 com US$ 620,74 milhões.

Dados do Ministério da Economia mostram que no 1º semestre de 2019, Venâncio Aires já exportou US$ 298,85 milhões contra US$ 178,21 milhões no mesmo período de 2018, sendo 93% tabaco, uma diferença de US$ 120 milhões. Os embarques para a China tiveram salto de US$ 5,33 milhões no 1º semestre de 2018 para US$ 75,08 milhões no mesmo período de 2019.

Os motivos para os atrasos nos embarques são logística, com a falta de contêineres, e preferência dos clientes. De acordo com o presidente do Sindicato Interestadual das Indústrias de Tabaco (Sinditabaco), Iro Schünke, o reflexo será o aumento nos embarques deste ano. “No caso específico do tabaco, e especialmente de Venâncio Aires, a diferença se dá porque a China postergou para o início de 2019 os embarques que faria no final de 2018”, afirma.

PREVISÃO
Schünke acrescenta que pesquisa da PWC, de março deste ano, confirmou essa expectativa, apontando aumento de 6% a 10% no total dos embarques de 2019, tanto em dólares quanto em volume. No entanto, a diferença de US$ 120 milhões de um ano para o outro somente no primeiro semestre, sendo cerca de US$ 100 milhões relativos ao tabaco, já demonstra que Venâncio Aires ficará duas vezes acima dessa expectativa grande parte em função da concentração das exportações pelos chineses.

IMPORTÂNCIA
Responsável por 96,1% das exportações em 2018, o setor do tabaco destaca-se mais uma vez como vital para a economia do município e, por isso, suas dinâmicas impactam diretamente o desempenho econômico e social. “É sabido que o tabaco é uma importante mola propulsora de desenvolvimento nos municípios em que é cultivado. Venâncio Aires ainda tem o diferencial de contar com grandes empresas beneficiadoras em sua planta industrial, o que acaba gerando ainda mais receita, impostos e empregos para os munícipes”, avalia o presidente do Sinditabaco.
Até o momento, a Capital do Chimarrão é a 9ª no ranking de exportações no Rio Grande do Sul e 80ª no Brasil. Em 2018, o município encerrou o ano em 10ª no RS e na 82ª no país. Com o aumento remanescente das exportações de 2018 para 2019, a expectativa é de que a posição geral neste ano seja ainda melhor.