• Hoje é: quinta-feira, dezembro 13, 2018

Com crescimento de 2,96% na receita dos produtores, colheita marca prosperidade do tabaco

Olá Jornal
dezembro05/ 2018

A abertura da Colheita do Tabaco nesta quinta-feira, 06, marca mais um ciclo de prosperidade para 149.350 famílias produtoras no sul do Brasil que viram sua receita subir de R$ 6,09 bilhões, em 2016, para R$ 6,27 bilhões, em 2017, um crescimento de 2,96%. A solenidade oficial ocorrerá em Canguçu, maior produtor do país, às 15h na propriedade de Renato Bohm Blank, no Distrito de Herval. Este é o segundo ano da realização da abertura da colheita da cultura, organizada pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), junto com a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), SindiTabaco e Prefeitura de Canguçu.

O bom desempenho reflete nos 556 municípios que possuem produção e gera expectativa para esta nova safra. De acordo com o vice-presidente da Afubra, Marco Dornelles, a expectativa é que seja uma safra equilibrada. “Temos boas perspectivas, mesmo com a chuva e o granizo registrados”, avalia. Em 2017, a produção brasileira chegou a 707.034 toneladas, sendo 685.983 toneladas produzidas no Sul do Brasil. A área média da propriedade é de 14,6 hectares, com uma média de 2,74 hectares cultivados com tabaco.

A produção total do Brasil em 2017 chegou a R$ 6,443 bilhões em receitas aos 159.610 produtores de tabaco. A geração de impostos foi de R$ 13, bilhões com 600 pessoas envolvidas no campo e 40 mil empregos nas indústrias.

VENÂNCIO
Em Venâncio Aires, a safra atual deve ser melhor do que a de 2017. Conforme o gerente local da Emater, Vicente Fin, o clima tem favorecido o desenvolvimento da planta. “O clima está bom, quente durante o dia e com temperaturas baixas no início e fim do dia, o que é ideal”. A área plantada deve se manter em nove mil hectares com uma produtividade de 2,25 quilos por hectare.

SOLENIDADE
A exemplo de 2018, para a abertura oficial da colheita está confirmada a presença do governador Ivo Sartori, do secretário da Seapi, Odacir Klein, e de autoridades estaduais e municipais, além de produtores convidados e imprensa. Para Dornelles, significa a valorização do fumicultor e toda a cadeia produtiva. “O ato é importante, pois o setor contribui para a permanência das famílias no campo com uma excelente fonte de renda para as propriedades, além de fomentar a geração de empregos nos municípios produtores de tabaco”, destaca.

CANGUÇU
O município de Canguçu é um dos maiores produtores de tabaco do Brasil. Na safra 2017/2018 foram 5.502 famílias que produziram, em 9.905 hectares, 22.142 toneladas de tabaco da variedade Virgínia, recebendo, em média R$ 9,18 por quilo de tabaco comercializado, totalizando um faturamento de R$ 203.260.163,40.