• Hoje é: terça-feira, setembro 19, 2017

Coluna do Olávo, destaque para os gastos com cafezinho, despesas do lixo e holofotes

Guilherme Siebeneichler
abril05/ 2017

CAFEZINHO
O controle de gastos públicos é um dever dos gestores e uma obrigação da população em manter a fiscalização. É no Portal da Transparência que estão os relatórios financeiros da Prefeitura, Câmara de Vereadores e demais poderes. Por exemplo, no Legislativo Municipal de Venâncio Aires foram gastos ao longo do ano passado R$ 3.181,72 em aluguel de máquina de café. Aquele cafezinho cremoso com chocolate e leite está disponível na Câmara. Quem paga esse produto? Os contribuintes. Neste ano este tipo de despesa alcança os R$ 1.826,00, no primeiro trimestre. Em Lajeado o mesmo assunto pautou polêmica em 2016. Na Câmara da cidade vizinha foram gastos R$ 200,00 mensais no aluguel da máquina e R$ 20 mil com a compra de insumos para a bebida. Para economizar, o negócio é deixar só cafezinho passado, ou melhor, o nosso mate de todos os dias.

LIVROS MAIS PRÓXIMOS
Durante a sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, 03, o vereador Tiago Quintana (PDT) apresentou iniciativa do Rotaract Club que busca criar uma biblioteca itinerante. O projeto não é novo, mas ganha força novamente. A proposta é de firmar convênio com o Município para cedência de um veículo que possa receber os livros. A biblioteca percorrerá as localidades do município, como forma de incentivar a leitura. A própria Secretaria de Educação possui uma Kombi literária, que percorre as escolas da cidade para proporcionar o empréstimo de livros e a contação de histórias. Linda iniciativa, ainda mais no nosso país em que a leitura não faz parte da rotina estudantil. Qualquer forma de incentivo merece apoio.

NA MIRA, O LIXO
O segundo maior contrato da Prefeitura em vigor é o de recolhimento do lixo. O valor gasto anualmente chega aos R$ 7 milhões, ficando atrás apenas do convênio com o Hospital São Sebastião Mártir, de R$ 11,5 milhões. Porém, o governo estipulou como meta a redução das despesas com o gerenciamento dos resíduos sólidos, por entender que é possível economizar, com ajuda dos moradores de Venâncio. Uma alternativa será proposta pelo vereador Ezequiel Stahl (PTB). O projeto objetiva promover a troca solidária, que prevê a destinação de resíduos sólidos e como retorno o cidadão ganhará um vale para compras de alimentos dos produtores venâncio-airenses. A iniciativa objetiva educar a população e garantir o recolhimento de lixo em pontos alternativos, em especial itens que possam ser reciclados.

DISPUTA PELAS LENTES
Que o político faz de tudo para aparecer, todos sabemos. Até porque, quem não é visto, também não é lembrado. Porém, em alguns setores do poder público municipal a disputa de egos acaba atrapalhando o andamento dos projetos. Capa de jornal e destaque em reportagens todos podem ser, mas o que a cidade de fato ganha com isso? Chegou a hora dos políticos mudarem a lógica e trabalharem para garantir programas que possam colaborar com o Município, de fato. Sem demagogia, é hora de mostrar que a política mudou. Só de marketing não vive o governo, ele é importante, mas não é sustentável, o eleitorado também cobra os resultados da divulgação. Fica a dica.

Tags:,