• Hoje é: terça-feira, setembro 19, 2017

Chuva afeta agricultura do município e perdas superam ano passado

Guilherme Siebeneichler
junho16/ 2017

Se no último decreto de emergência publicado por Venâncio Aires a incidência de granizo e ventos prejudicou culturas agrícolas, além de trazer prejuízos em residências e espaços públicos, as chuvas de junho resultaram em perdas significativas na agricultura. A avaliação é do escritório local da Emater, a partir de levantamentos nas propriedades rurais do município. Apesar da situação dos alagamentos, o governo municipal não irá emitir decreto, já que as perdas não somam 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do município.

Conforme o chefe do escritório da entidade, Vicente Fin, a cultura mais atingida foi a soja safrinha. Segundo o levantamento foram registradas perdas em até 120 hectares de uma área total de 350. O alto volume de chuva prejudicou a colheita e alagou as lavouras. Já no milho, tanto para silagem, quanto para grãos, as perdas alcançaram 65% da área total de 450 hectares projetados para a safrinha. “Os ventos aliados a condição de chuva derrubaram as plantas que apodreceram no campo. Essa é uma situação irreversível. Com este levantamento constatamos que as perdas agrícolas são maiores do que as registradas no ano passado, com o mau tempo,” argumenta Fin.

DEMAIS CULTURAS

Ainda segundo o relatório da Emater, as perdas com a produção de hortaliças somam cinco hectares. Já na área com citros o percentual é de até 8% do total plantado, tanto para comercialização, quanto para consumo próprio. Na pecuária também foram registrados prejuízos, tanto na limpeza dos espaços de confinamento, quanto nas pastagens, que foram destruídas com a chuvarada. Nos próximos dias as equipe do escritório local deve concluir o relatório financeiro de perdas.

ESTADO

Ao todo, 185 cidades gaúchas registraram danos causados pelo mau tempo. Pesquisa realizada pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) aponta que prefeituras gaúchas estimam perdas de R$ 339 milhões com os estragos causados pela chuva.

SEM RECURSO

Os 150 prefeitos que estiveram na Famurs nesta segunda-feira, 12 e esperavam o anúncio de ajuda do governo federal para os estragos causados pela chuva saíram frustrados do encontro com os ministros da Integração Nacional, Helder Barbalho, e do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra. Sem recursos programadas para situações de emergencial, qualquer repasse financeiro federal aos municípios depende de análise, por técnicos, das perdas e documentos enviados pelos municípios. De imediato não há recursos programados.