• Hoje é: sexta-feira, abril 19, 2019

Câmara de Vereadores retorna do recesso e aprova projetos para contratações emergenciais

Olá Jornal
fevereiro06/ 2019

A primeira sessão ordinária de 2019, comandada pelo presidente Eduardo Kappel (PP) ocorreu na noite desta segunda-feira, 04. Dois projetos de lei foram aprovados na votação, de forma unânime. As iniciativas do Executivo Municipal foram encaminhadas ao Legislativo com pedido de análise de urgência. Os parlamentares aprovaram a contratação de monitores e professores para escolas municipais. Com a autorização, será realizado processo seletivo para a contratação de cinco monitores de educação infantil, com carga horária semanal de 30 horas, pelo prazo de seis meses, prorrogável por mais dois meses. A remuneração é de R$ 1.599,41. Também serão contratados três professores de educação infantil (Emei), pelo prazo de seis meses, prorrogável por mais dois. A carga horária também é de 30 horas semanais, com remuneração mensal de R$ 2.573,26.

As contratações serão feitas com aproveitamento da Banca de Classificados no último processo seletivo público realizado em 2018. Na falta de candidatos, poderá ser realizado processo simplificado. Os monitores de educação infantil irão atuar nas Emeis Pingo de Gente, Closs, Passinho Seguro e Gente Miúda. Já os professores atuarão nas escolas: Bela Vista, Gente Miúda e Pingo de Gente.

PRESIDÊNCIA
Kappel, durante a primeira sessão do ano destacou também os trabalhos à frente do Parlamento Municipal para garantir economia de recursos. O vereador anunciou que a economia gerada em janeiro será direcionada para o Município realizar melhorias em paradas de ônibus, limpeza de áreas verdes e construção de quadras esportivas. “Queremos garantir melhorias nos bairros e também para a população que utiliza o transporte coletivo, com a economia feita na Casa ao longo destes primeiros dias de trabalho,” destacou.

MUDANÇAS
O período de comunicações também foi de anúncio para mudanças partidárias. O vereador Ciro Fernandes (PSC) anunciou que procura outra sigla, por conta das mudanças eleitorais no próximo pleito, em 2020. Sem a possibilidade de coligações proporcionais, na opinião do parlamentar, o processo só será possível para partidos maiores. PSD, MDB e PDT sinalizaram apoio para receber o vereador.