Cadeia produtiva se articula para reunião preparatória da COP8

Olá Jornal
agosto16/ 2018

No próximo dia 23 de agosto às 14h a Secretaria-Executiva da Comissão Nacional para a Implementação da Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco (CONICQ) realiza reunião aberta. O encontro objetiva discutir os posicionamentos do governo brasileiro para a edição deste ano da conferência que discute medidas para controlar o consumo de cigarros no mundo.

A reunião preparatória também discute a agenda prévia da Oitava Conferência das Partes da Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco. O encontro global ocorre neste ano na Suíça, entre os dias 1º e 06 de outubro.
Em Brasília representantes do Sindicato das Indústrias do Tabaco (Sinditabaco) e da Associação dos Municípios Produtores de Tabaco (Amprotabaco) participam da reunião. O encontro da próxima semana ocorre na Fiocruz, e deve reunir membros de ministérios e entidades de saúde. Na oportunidade há espaço para falas e depoimentos.

O prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert (PSB) e o consultor da Amprotabaco, Dalvi Soares de Freitas, participam do debate. A defesa será de garantir credenciais para representantes das prefeituras brasileiras, na tentativa de acompanharem os debates em Genebra. “Queremos participar, como observadores e manter o diálogo que já iniciamos no Rio de Janeiro. Este encontro em Brasília é importante para expor a importância do setor para os municípios e apresentar ações já realizadas para diversificação,” destaca Freitas.

ENCONTROS
A Amprotabaco também encaminhou cartas, junto à Casa Civil, solicitando encontros paralelos com a delegação. Um documento também foi encaminhado à Embaixada do Brasil na Suíça. A Cônsul-geral, Susan Kleebank, é quem coordenará os trabalhos do grupo que representa o governo brasileiro durante a COP8. “Queremos manter estas reuniões paralelas, após os debates da COP8. É importante para todos os representantes do Brasil, que estarão de alguma forma acompanhando os debates em Genebra,” argumenta.

AGENDA PRÉVIA
Entre os pontos que devem estar em discussão na edição deste ano estão: a publicidade, promoção e patrocínio do tabaco, dispositivos eletrônicos para fumar, avanços dos modos de subsistência alternativos e proteção do meio ambiente. Além disso, entra nas discussões o Protocolo de Combate ao Comércio Ilícito de Cigarros, assinado por 47 países.