• Hoje é: domingo, dezembro 8, 2019

Bolsa Família pode alcançar 14% de redução em três anos no município

Guilherme Siebeneichler
setembro27/ 2016

Em 2016 os repasses mensais feitos pelo governo federal ao Bolsa Família em Venâncio Aires, alcançam em média R$ 388 mil. Só em 2016 o valor destinado ao programa foi de R$ 3.108.455,00 com dados até 22 de setembro. A expectativa é de fechar o ano com R$ 4,6 milhões no município destinados. Se o valor se confirmar no fim de dezembro, a redução alcançada será de 14,3%, quando comparado com 2014.

Ao longo de 2015 foram destinados R$ 4.932.587,00 para os beneficiários venâncio-airenses. No período eram 3.401 pessoas inscritas e recebendo recursos. No ano anterior eram 3.331 cadastrados, porém, o valor destinado total foi maior, R$ 5.259.127,00. Em um ano a redução dos gastos com o Bolsa Família na Capital do Chimarrão foi de 6,6%.

Conforme o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), a diminuição nos valores do  município ocorrem pelo recadastramento dos integrantes que acabam não se enquadrando mais no programa federal. A expectativa é de diminuir ao longo dos próximos anos os valores destinados uma vez que está sendo realizado um pente-fino nos beneficiários.

ESTADO

No Rio Grande do Sul o bolo de repasses por meio do programa de transferência de rende já contabiliza R$ 491 milhões, até o dia 22 de setembro. Mas em comparação entre os dois últimos anos, a diminuição foi de 2,4%. Em 2014 o valor destinados aos cadastrados no estado alcançou os R$ 793 milhões. No ano seguinte foi de R$ 774 milhões. A expectativa de queda nos três últimos anos é de 7%.

VALOR MÉDIO

O valor médio de pagamento do Bolsa Família é R$ 182,03. Os recursos ficam disponíveis para saque durante 90 dias. O valor repassado varia conforme o número de membros da família, a idade de cada um e a renda declarada no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, tem reiterado que o Bolsa Família será aprimorado e não sofrerá cortes. O ministério está elaborando uma estratégia de ação voltada à inclusão produtiva dos inscritos no programa. A intenção é promover a autonomia dos beneficiários, por meio de investimentos na geração de emprego e renda.