• Hoje é: quarta-feira, novembro 21, 2018

Biblioteca pública municipal busca novos usuários através da informatização

Olá Jornal
outubro25/ 2018

Inaugurada em 1972, a Biblioteca Pública Municipal Caá Yari conta com mais de 12 mil cadastros de usuários que usufruem dos serviços prestados. A bibliotecária responsável, Rosária Garcia da Costa conta que os números de usuários ativos sofreram uma queda desde 2017. “Desde o ano passado o fluxo de pessoas vêm diminuindo, mas não a ponto da biblioteca ficar sem movimento”, diz.
Segundo dados da pesquisa realizada pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, o Rio Grande do Sul conta com 494 bibliotecas públicas, sendo uma biblioteca a cada 22 mil habitantes. A decrescente de usuários ocorrida é um reflexo de outras leituras e atingem a maioria das bibliotecas. “O público que passou para a faculdade é o que deixa um pouco a biblioteca em função das leituras de estudo”, conta Rosária.

Usuários
A Biblioteca Pública Municipal Caá Yari têm um acervo de 30 mil obras, sendo na maioria livros literários. Dentre os serviços prestados de retirada de livros, se destaca a internet gratuita para visitantes, tanto sem fio quanto o uso liberado de computadores para pesquisa e uso pessoal de redes sociais.
Rosária relata que existe um grupo fiel de usuários formado especialmente por moradores de rua, onde buscam na biblioteca um meio de cultura e informação. “Uma característica que a biblioteca têm há alguns anos é um grupo que vêm todos os dias para a biblioteca. Usam o computador, lêem os jornais, assistem filmes. No inverno, eles chegavam a passar o dia inteiro”, conta. Em contato, um usuário desse grupo, Marcelo Santos, diz que o uso da biblioteca é uma maneira de se manter conectado com a cultura. “Há anos vou quase todos os dias para ler os jornais e usar a internet. É importante esse espaço, faz parte da cultura”, comenta.

Adversidade
Apesar de sempre atualizadas, a página do Facebook da Biblioteca Pública Municipal Caá Yari não têm muitos acessos e falta interesse do público em procurar a plataforma. A administração da página tenta contato com o público mas não obtêm sucesso, onde até mesmo sorteios de livros geram pouco engajamento.
A meta para o final do ano é a concretização da informatização do sistema, para que os usuários possam realizar consultas e renovações de livros pela internet. “Com isso teremos uma forma mais atualizada de contato com os leitores, e esse é o nosso foco”, afirma Rosária.

*Camila Weschenfelder
Estagiária e estudante de Jornalismo – Univates