• Hoje é: segunda-feira, setembro 25, 2017

Aumenta a produção de lixo em Venâncio Aires

Janine Niedermeyer
novembro24/ 2016

Atualmente o lixo doméstico recolhido em Venâncio Aires alcança 850 toneladas por mês, segundo a secretaria municipal de Meio Ambiente (Semma). A média é 13% maior que os resíduos recolhidos mensalmente no ano anterior.

O aumento já era esperando e a partir de projeções anuais, além da ampliação de rotas do serviço de coleta de resíduos em mais localidades do interior. Entretanto, a partir das campanhas e ações na tentativa de redução deste tipo de gasto, o efeito contrário preocupa autoridades que buscam alternativas para baratear este tipo de serviço.

Hoje o custo por tonelada de resíduo destinada ao aterro de Minas do Leão é de R$ 75. O crescimento no lixo orgânico aumenta o peso da destinação final e assim, consequentemente cresce a despesa pública com este serviço. O contrato de recolhimento dos resíduos sólidos é um dos principais assinados pelo Município: alcança os R$ 2,6 milhões até o mês de outubro.

Segundo a assessora da Semma, Gabriela Graef, o crescimento do recolhimento do lixo ocorre anualmente e também pela oferta em novas localidades. “Houve mais rotas no perímetro rural, e na cidade o lixo orgânico cresceu. Por isso fizemos campanhas para composteiras, este é o lixo que pesa mais no depósito”.

RECICLAGEM
Para baratear o custo com o recolhimento de lixo, a reciclagem tem sido alternativa. A Usina de Triagem em Linha Estrela recebe o material coletado pelos caminhões e realiza a reciclagem dos resíduos. Atualmente, 10% do total gerado em Venâncio é reciclado – percentual acima da média nacional, que é de 6% – porém, a prefeitura espera ampliar este índice.

“Há dois meses uma nova empresa iniciou as operações na unidade e no próximo mês teremos um diagnóstico detalhado das operações, a expectativa é de ampliar o total de reciclagem do lixo residencial do município,” argumenta Gabriela.

REGIONAL
A proposta de regionalizar os serviços de destinação e coleta dos resíduos municipais tem avançado. Por meio do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Rio Pardo (Cisvale), um plano de resíduos sólidos da região será elaborado, envolvendo 13 cidades.

O objetivo é de criar um aterro no Vale para receber o lixo e diminuir os custos operacionais. Até o fim do ano deve iniciar a elaboração do documento em nível regional. Em até três anos o projeto deve estar em funcionamento.