Atendentes do Samu paralisam atividades no Rio Grande do Sul

Guilherme Siebeneichler
agosto13/ 2018

Telefonistas e rádio-operadores da central de regulação do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) estadual decidiram parar suas atividades na noite desta segunda-feira, 13. Os funcionários reclamam que estão com salários e vales transporte atrasados há três meses.

As solicitações por socorro podem ser feitas nos números do Corpo de Bombeiros pelo telefone 193 ou na Brigada Militar, pelo 190.

A paralisação ocorreu por volta das 19h e não tem hora para acabar. Os telefonistas paralisados realizam as primeiras perguntas e o posterior encaminhamento da chamada para um médico regulador que, por sua vez, faz o provável diagnóstico, orienta sobre as primeiras ações e avalia a necessidade de envio de uma ambulância.

A Secretaria Estadual da Saúde afirma que está remanejando atendentes para continuar recebendo as chamadas da população. Conforme dados da própria secretaria, o atendimento pode demorar mais de 8.500 segundos, ou seja, cerca de 2 horas e 20 minutos.

O órgão afirma que realizou os últimos pagamentos em dia para a empresa terceirizada responsável pelo serviço, mas esta não realizou os repasses aos servidores.