Área de Mata Atlântica diminui em Venâncio em 10 anos, porém reflorestamento aumenta

Olá Jornal
junho05/ 2019

A mata nativa de Venâncio Aires é composta pelo bioma da Mata Atlântica. Neste 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, discutir a proteção às florestas ganha destaque. O assunto também pauta relatórios divulgados por entidades e setores público ligados ao Meio Ambiente.

Apesar de conseguir aumentar as áreas regeneradas com matas, levantamento da ONG SOS Mata Atlântica aponta que em 2004 o município contava com 7,9% do território com este tipo de floresta. Porém, em 2016, o levantamento mostra que este percentual caiu para 7%. Na Capital do Chimarrão, a maior parte da área verde do bioma, atualmente, está localizada na região serrana e no entorno do Rio Taquari e no arroio Taquari Mirim.

Para o secretário municipal de Meio Ambiente, Clóvis Schwertner (PSB), a diminuição das derrubadas ocorre há pelo menos 20 anos. Segundo ele, na última década, houve o processo de regeneração das matas virgens. “Está aumentando a presença de áreas verdes, que estão no processo de regeneração das regiões, em especial onde os relevos são mais acentuados. Isso ocorre principalmente por conta do êxodo rural.”

Para o gestor, os dados do SOS Mata Atlântica, que aponta aumento na área devastada com mata nativa, envolve as florestas primitivas da nossa região. Por outro lado, as áreas de matas reconstituídas estão aumentando. “Isso é apontado também pelos sistemas eletrônicos do próprio governo federal. Estamos conseguindo ampliar as matas onde há 20 anos existiam lavouras. Isso é diferente em região planas, que a agricultura mecanizada mantém as áreas degradadas,” argumenta.

MATAS NA CIDADE
A área territorial da Capital do Chimarrão ocupa 773,2 km² e deste total, 27% são de matas nativas ou regeneradas. O valor é apontado como excelente, já que a tendência é de crescimento dos espaços com florestas naturais. Outro sinal de crescimento das áreas florestas é o ressurgimento de espécies de animais que estavam ameaçados de extinção. O escritório da Emater tem registrado casos de aparecimento de gatos e cachorros do mato, tucanos, caturritas e papagaios.

AUMENTO
Para o secretário municipal de Meio Ambiente Venâncio Aires deve aumentar as áreas de vegetação nos próximos anos. “Com certeza iremos aumentar a presença das matas nativas nas próximas décadas. Isso faz parte de um novo processo e visão dos nossos produtores rurais. É um momento importante para o Meio Ambiente, porque estamos tendo um envolvimento diferente.”

CÓDIGO FLORESTAL
Para o gestor municipal, os avanças na proteção às matas foi implantado a partir de campanhas das próprias indústrias do setor fumageiro, proibindo o uso de lenha nativa, além do Código Florestal. Neste segundo ponto, envolve também a proteção de áreas com declive de 45º, que não podem mais ter matas devastadas. “Isso colabora com os resultados já obtidos junto aos produtores do município, que há 20 anos cuidam das matas nativas. Isso é fundamental, além da implantação do Código Florestal,” conclui.

Área no entorno do Taquari Mirim e região serrana possui a maior densidade de Mata Atlântica