• Hoje é: terça-feira, outubro 16, 2018

Aprovado repasse de área para a construção de novo conjunto habitacional

Guilherme Siebeneichler
junho06/ 2018

A Câmara de Vereadores aprovou neste semana a doação de área de terras junto ao bairro Aviação para o Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), administrado pela Caixa Econômica Federal. O repasse se deve a busca por recursos, junto ao Ministério das Cidades, para a construção de um novo conjunto habitacional popular no município. Entretanto, os vereadores questionaram a localização, já que na mesma área existem outros dois complexos residenciais por interesse social.

A medida é um dos passos e não garante a realização do investimento no município. O terreno fica ao lado do parque projetado, junto à pista atlética, que será inaugurada nos próximos dias. A área total possui 18.274 metros quadrados, entre as ruas Senador Pinheiro Machada, esquina com a rua Plauto Orlando Becker.

O projeto habitacional busca a construção de 256 apartamentos e será destinado às famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil. O recurso para o investimento será repassado pelo Governo Federal por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, porém depende de aprovação do ministério correspondente.

O líder de governo, Ezequiel Stahl (PTB) argumentou que o projeto ainda está na fase inicial. “O governo está buscando o investimento, este é um passo. Depois teremos que analisar todos os critérios.”

A vereadora de oposição, Ana Cláudia (PDT), que já atuou como secretária de Desenvolvimento Social e Habitação, lembrou da necessidade de análise dos impactos sociais causados por investimentos deste tipo. “É preciso garantir escolas e saúde para os futuros moradores. Análise importante destes impactos para essa região.”

Cássio Storch (PSDB), também lembrou do impacto que um novo empreendimento deste tipo pode causar no bairro. “Precisamos ver uma outra área, porque naquela região já temos quatro empreendimentos deste tipo. Porque não pensar nos bairros Coronel Brito ou Brands.”

A matéria foi aprovada de forma unânime. Antes da votação, os vereadores rejeitaram um pedido de vistas solicitado por Tiago Quintana (PDT), que questionou a necessidade de urgência na votação.