Ano letivo de 2020 da rede municipal encerra em janeiro

Olá Jornal
dezembro08/ 2020

Totalmente atípico, por conta da pandemia do Coronavírus, o ano letivo de 2020 da rede municipal de ensino foi de reinvenção dos professores e adaptação por parte dos alunos e familiares, que precisaram se adaptar a novas formas de ensino, uso de ferramentas diversificadas, principalmente a internet.

No total, foram apenas 19 dias letivos para o ensino fundamental de forma presencial. Em maio iniciaram as aulas remotas. “Foi um ano muito difícil. De adaptação principalmente para os alunos menores, precisou-se de motivação para os estudantes maiores, os professores precisaram se recriar”, relata a Secretária Municipal de Educação Alice Theis. Ela ainda acrescenta que “mais do que nunca viu-se a importância do professor, a presença indispensável dele na vida do aluno”.

Por conta da pandemia, a decisão de não retomar mais as atividades presenciais em 2020 deu-se a partir de visões técnicas e científicas. “Sempre pregamos pela segurança, tanto dos alunos como dos profissionais. Então a melhor decisão foi seguir com as aulas programadas”, afirma a Secretária. 

Mas, segundo ela, o ensino a distância não é sinônimo de aprovação automática dos alunos. No decorrer do ano, os conteúdos essenciais foram construídos e repassados de forma virtual ou mesmo presencial (com retirada e entrega de material nas escolas). Com isso, alunos que não tenham realizado as atividades propostas, não tenham entregue no mínimo 50% dos trabalhos poderão ser reprovados. Estes, por sua vez, terão a oportunidade de alcançar a aprovação entre os dias 4 a 15 de janeiro, quando poderão desenvolver as atividades de recuperação. Ainda, se neste período o aluno não entregar até 50% dos trabalhos e for reprovado, os pais podem solicitar uma reavaliação, por escrito no respectivo educandário, nos dias 18 e 19 de janeiro, quando então receberão uma lista de atividades para o aluno fazer antes do início do próximo ano letivo. De 21 de janeiro a 19 de fevereiro é o período de férias dos professores das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emef) e de Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Com as incertezas para 2021, Alice adiante que “o ano que vem será desafiador. Será necessário um diagnóstico de cada sala, de cada aluno. Poderemos ter turmas com três a seis, sete níveis diferentes. Então todo um planejamento para uma turma precisará ser muito bem feito”.     

CRÉDITO: AI PMVA

Olá Jornal
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com