• Hoje é: terça-feira, dezembro 11, 2018

Abertura da Colheita do Tabaco de 2019 já é articulada

Olá Jornal
dezembro08/ 2018

Oficializar e valorizar a produção de tabaco no Rio Grande do Sul. Esta é a proposta da solenidade que marca a abertura oficial da colheita do tabaco. A segunda edição ocorreu nesta quinta-feira, 06, em Canguçu, no sul do estado. Agora, Afubra e Sinditabaco articulam a continuidade do evento a partir de 2019, quando um novo governo inicia. A expectativa é de manutenção das atividades, assim como ocorre em outras culturas agrícolas, entre elas a soja, arroz e uva.

Os preparativos da próximo edição devem ocorrer até o mês de maio. Entretanto há cidades interessadas em receber o evento. Entre elas está São Lourenço do Sul e Candelária. Entretanto, segundo o vice-presidente da Afubra, esta definição ocorrerá em conjunto com o governo do Estado e após avaliação da comissão organizadora. “Ainda vamos discutir a continuidade desta abertura oficial com o próximo governo. Mas já há cidades interessadas em receber o evento,” destaca Marco Dornelles.

IMPORTÂNCIA
Ao longo da solenidade nesta quinta-feira, 06, o destaque foi a importância do setor para a geração de renda, empregos e tributos. Políticos, lideranças da cadeia produtiva e produtores lembraram a capacidade de produção e da qualidade do tabaco plantado no Rio Grande do Sul. O segundo produto agrícola mais exportado pelo estado, perdendo somente para a soja, foi enaltecido durante a solenidade realizada neste ano na propriedade do produtor Renato Bohm Blank, que junto com a esposa Patrícia e a filha Iadni, recepcionou cerca de 350 pessoas.

FORÇA
Durante as manifestações das lideranças do evento, o ponto principal foi a defesa da renda e da produção. O presidente do Sinditabaco, Iro Schünck, enalteceu a força da cadeia produtiva. “Não teríamos uma cadeia produtiva tão forte se não fosse a nossa base de produtores. Um evento como este é um reconhecimento para a importância da força econômica e social do tabaco. ”

O vice-presidente da Afubra, Marco Dorneles lembrou do número de produtores envolvidos com a cultura na cidade anfitriã. “Canguçu possui 5,5 mil produtores de tabaco e na última safra geraram R$ 203 milhões de renda. Estes números mostram a importância da produção de tabaco para as famílias produtores.”

Já o prefeito de Canguçu, Marcos Vinicios Müller Pegoraro, comemorou o fato da cidade ser sede da segunda abertura da colheita do tabaco. “É preciso agradecer porque esta produção traz renda e desenvolvimento para a nossa cidade.”

O secretário estadual de Agricultura, Odacir Klein, representando o governo do Estado, criticou as restrições ao cultivo e salientou a importância do setor. “Não há porque substituir uma cultura que garante renda aos nossos produtores. Esta data é importante porque demonstra apoio do poder público a esta cultura.”

NOVO PRESIDENTE
O deputado federal e senador eleito, Luiz Carlos Heinze (PP) durante a sua fala destacou que a defesa da produção de tabaco terá um novo olhar no governo de Jair Bolsonaro (PFL). Próximo ao presidente eleito, Heinze afirma que a perseguição ao cultivo vai acabar. “O governo vai incentivar o empreendedor, e o agricultor é um empreendedor. Vamos defender quem trabalha e gera renda.”