• Hoje é: sexta-feira, dezembro 15, 2017

Confira a coluna do Olávo deste sábado, 23 de setembro

Guilherme Siebeneichler
setembro23/ 2017

TROCA-TROCA
As últimas trocas na Câmara de Vereadores envolvendo a base aliada tiveram um “leve” estresse. Isso porque, alguns suplentes não concordaram com a ordem. Entretanto, o prefeito Giovane Wickert cobrou o cumprimento de acordo feito no início do governo que é o de garantir pelo menos 30 dias para um dos suplentes. Pelo acordado, todos os vereadores da coligação formada por PSB, PSD e Rede, terão que pedir licença e dar a cadeira para um dos suplentes.

PROFESSORES
Conversando com professores da rede estadual aposentados, muitos se dizem contentes com o movimento grevista em Venâncio. Há muito tempo não se via a união da categoria, em especial, nas maiores escolas da rede. Na última semana palestras e plenárias discutiram o papel da mídia nos debates e o preconceito com o movimento sindical. A luta por educação de qualidade é de todos. O momento é de ouvir todos e buscar alternativas. O discurso, fácil por sinal, de que não existe dinheiro para pagar em dia, projetar investimentos e melhorar o nosso ensino, não pode ser eterno.

REJEIÇÃO
Gosto de analisar as pesquisas eleitorais pelo índice de rejeição. Isso porque, dificilmente o candidato consegue reverter esse percentual. Na última pesquisa realizada pela CNT/Ibope na primeira quinzena de setembro, o ex-presidente Lula (PT) lidera com 27% da preferência dos eleitores ouvidos. Porém a sua rejeição é de 50,5%. Na sequência aprece o Bolsonaro (PSC), que tem 24% das intenções, porém 45,4% dos entrevistados dizem que não votariam nele. Marina Silva (Rede) possui 12,1% de votos favoráveis, e 51,5% de rejeição. Ciro Gomes (PDT) 5,3% de votos, contra 54,3% de rejeição. Perde em percentual de votos negativos para Aécio Neves (PSDB), que tem 69,5% de rejeição e 3,2% de intenções de votos em possível eleição de 2018.

QUESTIONAMENTOS
Sindicato dos Servidores questiona a compensação de horas do feriadão do dia 12 de outubro. Inicialmente o governo municipal havia publicado decreto que o ponto facultativo do dia 13 seria compensado ao longo do mês, com meia hora a mais na carga horária do funcionalismo. Depois, reeditou o decreto e colocou a compensação para o dia 28 de outubro (Dia do Servidor) durante atividade de integração no Parque do Chimarrão. A entidade quer questionar a situação na Justiça, porque, segundo o presidente Odenir Carvalho, o poder público não pode exigir ponto no sábado, já que o evento é recreativo. Ele questiona a não realização de atendimentos e serviços para a comunidade, o que pode resultar em gastos públicos, sem retorno aos venâncio-airenses.
Inclusive a direção sindical pode promover uma manifestação e fiscalização do registro do ponto durante o evento no Parque do Chimarrão. Para a entidade não há legalidade na decisão do Governo Municipal. Em compensação, o Poder Público local tem destacado que o evento é organizado anualmente e busca, além de promover a integração, reconhecer o servidor público municipal.